O que eu quero agora? Tentando lidar com a confusão!

E aí pessoal, tudo bom?

Desnecessário dizer que às vezes todo mundo se sente muito triste e muito pra baixo. A gente vive, como todos vocês sabem muito bem, num mundo predatório que não tem pena de ninguém. A gente se esforça muito, muito mesmo para conseguir o que quer – e às vezes tudo o que consegue é encontrar outra pedrinha (ou pedrona) pelo caminho.

E como é difícil não se deixar abater, né?

Nos últimos dias eu acabei notando sem querer muitos traços comuns em mim e na minha família. Somos no geral muito sensíveis e se você aí também for, sabe que isso pode ser uma droga às vezes! Agora, um segredo:

Segredo #3

Eu me deixo abater com facilidade.

E depois de perceber isso, eu fiquei muito desesperada – mais do que o normal -, e comecei a afundar lentamente numa espécie de apatia que era só o começo de um imenso poço de insegurança… Mas POR SORTE (olha ela de novo aí!) eu tenho uma família maravilhosa, que eu amo do fundo do coração. Eu realmente achava que ia escorregar lentamente até o final, até que eu recebi um conselho que eu com certeza vou guardar comigo.

E o conselho gira em torno, basicamente, de você!

Eu vou relatar bem rapidinho as etapas da minha situação após qualquer rejeição que eu tive nos meus últimos vinte e tantos anos:

  • Tristeza; “eu deveria ter me esforçado mais”;
  • Preocupação; “e agora o que eu faço?”
  • Derrota; “não sou boa o suficiente!”;
  • Dúvida; “será que eu realmente consigo? É isso mesmo que eu quero?”

E ao chegar nesse último ponto tudo o que eu conseguia sentir era uma imensa apatia. Eu procurava fugir de tudo e de todos que me fizessem lembrar da situação de rejeição e isso só me fazia ainda pior, já que, ao fugir, eu sentia que não estava fazendo NADA pra melhorar minha situação. Na real, quando isso acontecia, todos os pontos pareciam voltar como FANTASMAS, com força redobrada.

“Mas peraí”, me disseram. “Por que evitar a tristeza? Por que fugir?”

E foi quando eu aprendi:

Na vida, receberemos muitos “nãos” e muitos “sims” e da mesma maneira que a gente aceita o sim e segue em frente, devemos também aceitar e entender a rejeição, para só então crescer com ela e ficar melhor a cada dia… Mas isso vocês já sabem. Qual é a parte nova?, você me pergunta.

Bem, pense novamente naqueles pontos lá em cima… Porque aquilo NÃO vai sumir.

Levar um não é como levar um tapa: é RUDE. E DÓI. Mas isso não quer dizer que estamos imunes ao seu efeito, mesmo que você ache que levar um tapa na cara nem é lá essas coisas. E o mesmo vale pra rejeição. O que devemos mudar é a maneira como enxergamos a nossa reação a ela.

Depois de uma rejeição eu penso em mil coisas e inclusive eu posso DESISTIR se eu quiser, sim – e depois eu vou fazer um post especial sobre isso, eu acho que vale a pena -, mas eu PRECISO entender que EU preciso de um tempo para processar tudo isso e pra me reerguer.

Não somos de ferro… A nossa cabeça precisa sim de um descanso e de um carinho de vez em quando.

Então quando você receber um NÃO desses bem cabeludos, respira fundo e aceite a sua tristeza, porque ela é natural =) Dê um tempo pra sua cabeça, pro seu corpo, faça exercícios, brinque com os seus filhos, converse com os seus amigos, jogue seu jogo favorito e depois, quando as baterias estiverem cheias novamente, coloque tudo na ponta do lápis e cheque se vale a pena ou não você seguir em frente. ❤

No processo de recarregar as minhas, eu acabei redescobrindo uma paixão antiga, que é DESENHAR! E o resultado foi lindo, dá uma olhada ❤

Tenta isso também 🙂 Da próxima vez que você estiver muito triste, não saia por aí com uma lágrima presa embaixo do olho – simplesmente aceite sua tristeza como algo natural, dê-se tempo para se reerguer e depois siga em frente, ainda mais forte! Somos humanos gente, calé!

#EuConsigo e você também.

Beijos e até a próxima!

9 thoughts on “O que eu quero agora? Tentando lidar com a confusão!

  1. Tenho que admitir, me identifiquei bastante com o teu texto. Também tenho passado por uma situação de ficar desanimado, apático com o que estou fazendo da vida. É algo bem complicado de se lidar, até porque a solução nem sempre depende só de nós. De qualquer jeito, te desejo sorte com teus problemas. 🙂 Beijão!

    Liked by 1 person

    1. Valeu sr Docinho!
      Muito obrigada pela força. Me lembro de alguém falando que “6 meses na Europa COMEÇARIAM a me deixar mais tranquilo” e isso me deixou assustada! Talvez seja uma boa focar nas coisas que você pode solucionar por si. Se quiser conversar é só me falar sr!

      Beijos,

      Like

  2. Oi gata!

    Vim aqui te enxer de novo, pra variar.

    É engraçado que a cada leitura, a cada palavra, eu me encaixo tanto com tudo o que você diz. É como se fossemos a mesma pessoa, ao mesmo tempo de termos nossas vidas separadas.

    Tem uma música do Coldplay que toca sempre na minha cabeça quando eu fico deprê assim depois de uma situação bosta. Fiz You. Ela tem uma frase que pra mim resume isso tudo. “When you try your best but you don’t succed. When you get what you want, but not what you need. When you’re too in love to let it go. Stuck in reverse.”

    É foda né? Eu acabo sempre comentando muito porque me identifico com tudo isso ai. Uma hora você acha que só dá tudo errado e que você não consegue fazer mais nada para melhorar. Você se afunda nas dúvidas, nos medos,e desiste de tentar coisas que poderiam ser ótimas.

    Mas o que você disse é super certo. Viviam me dizendo, quando queria perguntar algo e tinha medo de arriscar. “O não você já tem, o que custa tentar?”. E é verdade. A gente tem que tentar, porque mesmo com muitos nãos, uma hora vem um sim. Uma hora reconhecem toda a nossa luta, esforço e dedicação.

    E é claro que vai doer pra caralho ouvir o não. Mas a gente é mais forte que tudo isso, com certeza é.

    Volto a dizer, cria um portfolio, girl. Sua arte é ótima e eu acho que isso ampliaria muito seu potencial.

    Seus desenhos são lindos como sempre ❤ (Ainda tenho aquele desenho que você me deu um dia que eu estava chorando na Gameteca. E ainda quero um outro desenho!)

    Beijocas gata ❤
    Se cuida, tá?

    Liked by 1 person

    1. Há algum tempo atrás eu comecei a me interessar muito por tarô – e tanto que agora eu consigo fazer leituras básicas e tal. Uma das coisas que o tarô ensina, ao invés de magia e “destino” é que a vida é ceia de ciclos de aprendizado e que todas as pessoas passam por esses aprendizados em um momento ou outro da vida. Acho que estamos no mesmo momento hehehe.

      Eu achei a música fantástica, vou ouvir aqui AGORA! hahaha

      Muito obrigada pela força, querida! Muito mesmo =)

      Um beijo imenso.

      Like

      1. Sabe que quando eu era mais nova eu comecei a tentar ser “Wicca”. Eu sabia ler o básico do târo também e tinha um monte de coisas com pedras espirituais. Ironicamente foi na mesma época que eu comecei a fazer catequese, então imagina que algo não deu certo ai.

        E uma pequena correção minha: *Fix you é o nome da música!

        Precisando de qualquer coisa, estamos aqui x]

        Like

Comment

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s